sábado, 21 de setembro de 2013

Resenha livro Suicidas

Livro: Suicidas- Raphael Montes




Sinopse 

Um porão, nove jovens e uma Magnum 608. O que poderia ter levado universitários da elite carioca – e aparentemente sem problemas – a participarem de uma roleta-russa? Um ano depois do trágico evento, que terminou de forma violenta e bizarramente misteriosa, uma nova pista, até então mantida em segredo pela polícia, ilumina o nebuloso caso. Sob o comando da delegada Diana Guimarães, as mães desses jovens são reunidas para tentar entender o que realmente aconteceu, e os motivos que levaram seus filhos a cometerem suicídio. Por meio da leitura das anotações feitas por um dos suicidas durante o fatídico episódio, as mães são submersas no turbilhão de momentos que culminaram na morte dos seus filhos. A reunião se dá em clima de tensão absoluta, verdades são ditas sem a falsa piedade das máscaras sociais e, sorrateiramente, algo muito maior começa a se revelar. Narrado em formato de quebra-cabeça, Suicidas apresenta um suspense dramático arrebatador, com personagens dúbios e tramas que se entrelaçam até a solução surpreendente – que só se mostra nas últimas palavras.

Resenha



Suicidas, de Raphael Montes, é um romance policial, é o primeiro romance do autor e foi escrito aos 19 anos de idade. O livro foi finalista do Prêmio Benvirá 2010 (SARAIVA) e do Prêmio Machado de Assis 2012 (BIBLIOTECA NACIONAL).
Conheci a obra através de um convite para um evento chamado Bate Papo sobre Literatura Nacional, onde ele era um dos participantes, comprei o livro antes de ir ao evento e comecei a ler no dia do evento, para poder conversar com autor e não parei mais. Tive o imenso prazer de conhecer o Raphael e poder falar um pouquinho sobre a trama.
Nove jovens se reúnem em um porão para se suicidarem através da famosa Roleta Russa. O que levou esses jovens a cometer esse ato? Essa resposta e muitos outros questionamentos irão surgir ao longo da trama. Um ano após o suicídio dos jovens a delegada Diana reúne a mãe das vítimas para a leitura de das anotações de Alessandro, uma das vítimas, ocorridas no porão que até então era desconhecida pelas mães. Alessandro tinha o sonho de ser escritor, porém nunca conseguiu publicar seu livro, sendo rejeitado pelas editoras, então resolveu em sua cartada final participar da roleta russa narrando todo o ocorrido para que assim conseguisse publicar seu livro mesmo depois de morto. Prepare-se para se chocar com tudo que ocorreu no porão, e irá se perguntar até que ponto se conhece um ser humano?
A narrativa do livro ocorre em três momentos diferentes sendo intercalados: as anotações de Alessandro encontradas em seu quarto narrando acontecimentos antes da roleta russa, a reunião das mães com a delegada e as anotações do Alessandro encontradas no porão.
A escrita de Raphael Montes nos deixa morrendo de curiosidade a cada capítulo lido e não conseguimos parar de ler, me peguei completamente envolvida pela história e fui montando o filme na minha cabeça. A trama e o enredo foram muito bem desenvolvidos e amarrados, personagens muito bem construídos e marcantes e um final surpreendente de tirar o chapéu.
Fiquei impressionada em como um jovem de 19 anos escrevendo seu primeiro livro conseguiu se sair tão perfeito.
Este é um romance aborda alguns temas polêmicos como drogas e bissexualidade. Tem algumas partes muito cruéis onde nem todo mundo tem estômago para ler. Recomendo para amantes de romances policiais que gostam de livros que prendem e surpreendem até a última página.

Classificação do livro

Sobre o autor:


Raphael Montes nasceu em 1990, no Rio de Janeiro. Advogado e escritor, publicou contos em diversas antologias de mistério, inclusive na prestigiada revista americana Ellery Queen Magazine.
Suicidas é o primeiro romance do autor, nascido de um projeto de mesclar subgêneros clássicos do policial em uma roupagem moderna. Amante e pesquisador do tema, Raphael é dono de uma biblioteca com mais de 5.000 livros do gênero e autor de variados estudos, tendo uma coluna semanal sobre literatura policial no Jornal do Brasil.
Sua pouca idade e a escrita tensa e instigante chamaram a atenção do mercado literário brasileiro: Suicidas foi finalista do Prêmio Benvirá de Literatura 2010 e do Prêmio Machado de Assis 2012 da Biblioteca Nacional, este um dos maiores do país. O livro foi publicado na Série Negra do selo Benvirá (ed. Saraiva), ao lado de diversos autores estrangeiros.
Sucesso de crítica e bem recebido pelos leitores, o autor realiza ainda trabalhos como copidesque de textos literários e ministra palestras sobre processo criativo em cursos e faculdades. Dias Perfeitos, sua próxima obra, será publicada no início de 2014.

“Raphael serve com autoridade uma refeição completa para os adeptos do gênero policial.”
Correio Braziliense

Suicidas é uma caixa de surpresas. (…) Intrigante, a narrativa leva a imaginar a história no cinema.”
Portal R7

Suicidas mostra o fôlego de um novo autor que já sabe muito bem o que está fazendo. Um livrão, em todos os sentidos.”
Santiago Nazarian, escritor

Onde comprar: